Documento sem título
 
   
 
 
 
HOME
PERFIL
SERVIÇOS
CLIENTES
PROJETOS
PUBLICAÇÕES
CONTATO
 
       
 
     
 
Notícia - A Compra do Seu Imóvel Financiado em 7 Passos Seguros A Compra do Seu Imóvel Financiado em 7 Passos Seguros

A compra de um imóvel, para uso próprio ou investimento, costuma ser um grande passo, em razão do expressivo capital envolvido. Trabalhando na área de construção e reforma há 15 anos, a equipe da Fabio Rocha Arquitetura percebeu que a fase do financiamento é a que gera mais dúvidas. Para auxiliar nesse momento tão importante, foi elaborado o roteiro a seguir, que orienta sobre os principais pontos do processo.

Aproveite o momento e os incentivos do governo, que aumentou o valor máximo dos imóveis que podem ser adquiridos pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e também ampliou o percentual a ser financiado!
Roteiro para Aquisição de Financiamento

1º passo: escolha da instituição financeira
Parece uma ideia absurda, considerando que o banco só é envolvido depois que o imóvel foi escolhido. Mas não é!
Caso você não disponha de toda a quantia para comprar seu imóvel, precisará buscar um empréstimo junto a uma instituição financeira. Muitas são as opções no mercado, todas ávidas por tê-lo como cliente! Antes de qualquer coisa, é fundamental pesquisar as ofertas disponíveis, as diferenças entre as taxas de juros praticadas, o percentual de financiamento concedido, assim como as exigências e burocracias envolvidas. É muito importante identificar qual banco se ajusta melhor ao seu perfil, pois será um relacionamento para 10, 15, 20 ou até 30 anos!

Logo em seguida, você deverá procurar o gerente da agência escolhida e apresentar seus documentos pessoais e de comprovação de renda, informando qual quantia pretende financiar. Essa providência permitirá ao banco agilizar a análise de crédito. Com o exame cadastral, de perfil e capacidade de pagamento antecipados, geralmente se ganham de 30 a 40 dias no processo!

Além disso, fica mais fácil negociar com o vendedor na hora de informar que o pagamento será feito por meio de financiamento.

2º passo: escolha do imóvel
Agora sim. Com a primeira parte da documentação em andamento, é hora de escolher o imóvel. Primeira recomendação: pé no chão e controle total da ansiedade e das expectativas!
Faça uma seleção considerando a região de sua preferência, o tamanho, número de cômodos e o valor pretendido. Para isso, poderá contar com os classificados do jornal, a internet e os corretores de sua confiança. Lembre-se sempre: não se empolgue com a primeira visita; o investimento é alto e merece uma decisão acertada. Conter o entusiasmo diante dos vendedores também ajuda nas negociações.

3º passo: efetivação do compromisso de venda e compra e análise da documentação do imóvel
Se você pensava que depois de ter feito a escolha do imóvel estava tudo pronto, enganou-se... Agora recomeça a parte burocrática. Neste momento é bom contar com a ajuda de um especialista. Recomenda-se que um advogado analise todos os documentos, desde os referentes ao imóvel, ao processo de financiamento até os documentos dos vendedores.
Segundo Cleide G. Santos, advogada de São Paulo pós-graduada em Direito Imobiliário, “o estudo da documentação imobiliária, que precede a aquisição do bem, tem dois objetivos principais: verificar e minimizar o grau de risco da aquisição e demonstrar, se for necessário, a boa-fé do adquirente”.

E destaca ainda: “É possível negociar um valor fechado com o profissional e o custo da avaliação ficar em torno de um salário mínimo. É um dispêndio que deve ser encarado como investimento, pois muitos problemas podem ser evitados nesta fase. O objetivo nunca será inviabilizar negócios, mas sim orientar quanto às correções e precauções necessárias”.

E destaca ainda: “É possível negociar um valor fechado com o profissional e o custo da avaliação ficar em torno de um salário mínimo. É um dispêndio que deve ser encarado como investimento, pois muitos problemas podem ser evitados nesta fase. O objetivo nunca será inviabilizar negócios, mas sim orientar quanto às correções e precauções necessárias”.
O profissional contratado também poderá elaborar o compromisso de venda e compra, que é o instrumento legal que oficializa a negociação do imóvel, sendo destacada neste instrumento uma cláusula específica para a documentação.

4º passo: análise dos vendedores
Neste momento é avaliada a situação dos vendedores. É muito importante verificar se há restrições que possam recair sobre o bem. Além disso, ao analisar a documentação o comprador pode antecipar correções e esclarecimentos, novamente agilizando o processo de financiamento.

Invariavelmente, a instituição financeira que cederá o crédito analisará toda a documentação apresentada. Porém, recomenda-se que o comprador tenha conhecimento de tudo, pois ele será o pleno proprietário do imóvel futuramente.

5º passo: análise detalhada do contrato de financiamento
Nesta fase é hora de decidir sobre os detalhes do financiamento: o sistema de amortização e garantia, a forma de reajuste, se será ou não utilizado o FGTS. Deve-se tomar conhecimento de todas as tarifas cobradas pelo banco e negociar quando possível.
Uma dica é optar pelo débito em conta corrente. Apesar do inconveniente de ter de abrir uma conta no banco que oferece o financiamento, o desconto pode chegar a 1% referente à taxa de juros (ao ano) sobre o saldo devedor.

Cuidado: conforme o Código de Defesa do Consumidor, artigo 39, inciso I, é vedada a qualquer estabelecimento comercial a prática da “venda casada”. As empresas que recorrem a essa prática estão sujeitas a sanções administrativas que vão desde multa até a cassação da licença. Infelizmente, alguns bancos condicionam o financiamento à compra de um seguro de vida ou cartão de crédito, por exemplo.

6º passo: projeto de reforma do imóvel, contratação de equipes e execução da obra
Nesta fase, presume-se que tudo deu certo: a escolha do banco e do imóvel, o fechamento do negócio com o compromisso de venda e compra, a análise de todos os documentos e a obtenção do crédito.

Talvez seja a hora de descansar, passar uns dias na praia ou na montanha, recarregando as energias e se preparando para a etapa final: a adequação do imóvel ao seu perfil e necessidades.

Segundo Fabio Rocha, arquiteto titular da Fabio Rocha Arquitetura, “um erro gravíssimo, e infelizmente muito comum, é iniciar a obra sem uma planilha orçamentária detalhada e sem o cronograma executivo”.

Ele esclarece que o projeto arquitetônico possibilita uma eficiente utilização do imóvel adquirido e contribui para a valorização desse imóvel. Além disso, junto ao projeto executivo é disponibilizado o memorial descritivo, relatório que possibilita realizar um orçamento detalhado e preciso, bem como planejar o prazo de execução.

7º passo: mude-se, comemore e seja feliz! Você lutou muito para chegar até aqui!

Por: Sílvia Rocha


Voltar

 
     
 
 
Documento sem título
Av. Alfredo Ignácio Nogueira Penido, 335 Sala 1201 Jd. Aquarius - São José dos Campos / SP CEP: 12246-000
Telefone: (12) 3931-4877 - E-mail: contato@fabiorochaarquitetura.com.br

Copyright © 2012-2016 - Fabio Rocha Arquitetura - Todos os direitos reservados